Pouco a pouco amor...

Pra aonde vai a paixão que não se alimenta?
O tesão e o fogo que se deixa apagar?
Como pode resistir o amor?
Se pouco a pouco você o priva de se alimentar?
Cessaram-se os carinhos, os beijos mais quentes as mãos mais abusadas foram censuradas.
E pouco a pouco a paixão vai se aquietando,
O fogo vai abaixando, a vontade vira um desejo longe.
Quase inalcançável... Torna -se não saciável.
Por não sentir mais vontade de se saciar.
E então, aquela pequena luta diária pra manter a paixão acesa, quando vinda de um único dos lados da balança, torna-se lança que o fere.
E o faz voltar a ser criança achar graça em dançar uma dança... mesmo que só e tendo um par.
Alimento pro fogo do amor, ainda é simplesmente amar.

0 comentários:

Postar um comentário

Seguidores