A resistência...

Pedi a deus por dias como os teus
Pra me afogar na loucura dos que sonham
Deitar na ternura etérea dos que mais sentem que pensam.
Parem de pensar faz tempo!
Faz mal ao coração...
Mal com L mau com u.
Bem é que não faz...
Difícil nesses dias é encontrar algum canto na casa aonde consiga paz!
Pra todo o resto tanto faz se o que faço é sentir ou pensar.
Cabe a mim o pesar eterno de ser um simples pensador!
De buscar na simplicidade poesia.
E num sopro qualquer de felicidade..
Uma gota qualquer de amor.
Uma tarde vazia invade a casa.
E eu brigo com a minha consciência por que a minha essência pede um pouco de silêncio.
Mas parece muito esperar alcançar privacidade em meus próprios pensamentos!
Tudo inferniza minha paz, do barulho alto dos carros aos gritos escandalosos nas ruas.
Meu pais que resolvem conversar sempre na hora em que eu desisto.
Insisto... Um minuto, por favor com meus pensamentos?!
Não aguento mais ter pra mim apenas os momentos em que o elevador sobe os andares ou a parada do metrô nos terminais.
Seria pedir demais?
Talvez sim.
Por fim desisto mais uma vez de conversar com meu sub-consciente.
A porra do mundo é muito insistente em não nos deixar pensar...
São todos assim, automáticos!
E nós assistemáticos, eles tentam a todo custo automatizar.
Difícil é resistir a persistência, quando a sua resistência se encontra prestes a quebrar.

- Luiz Carlos, Frog!
06/09/2016
(Textos registrado)

0 comentários:

Postar um comentário

Seguidores