É tarde?

É só mais um eco...
Repetido pelo fim do espaço.
Um espaço sempre vago entre meus abraços.
O destino dos que vagam entre os planos.
Fazendo dos planos que os humanos traçam, algo possível.
Possível, seria eu encontrar a paz?
Sem que me seja tirada, roubada ou levada pelo tempo?
Se meu contentamento fosse sempre sentir amor.
Eu amaria, eu calaria. Suportaria o que for.
Pra ter reciprocidade.
Pra ter de verdade, sem medo algum de perder.
No entanto ao primeiro tremular...
Meu mundo põe-se a desmoronar sobre mim.
Por fim, talvez eu seja mesmo um louco solitário.
Ou um romântico, daqueles bem otário.
Nascido pra pôr o amor no papel...
Ser sempre um simples réu!
Julgado como insuficiente.
Com um sorriso no rosto.
O resquícios de um pedaço de gente.
Que um dia já foi inteiro...
Ao te conhecer era metade...
Hoje não sabe o que vai sobrar, quando você decidir que está tarde.
E não pode mais ficar.

~
Frog.

0 comentários:

Postar um comentário

Seguidores