Sobre os nós

Eu escreveria sobre nós.
E sobre a voz que calo.
Sobre o grito preso na garganta.
Sobre as coisas que eu não mais falo.
Eu escreveria sobre o tempo
E perderia meu tempo desatando os nós.
Esquecendo a sua voz.
Eu escreveria sobre mais...
Apagaria esse tanto faz.
Congelaria o tempo pra tentar me ver mais atento.
Me perderia, mau trataria.
Sem melodia, sem corda, sem nós.
Eu voltaria pra mim, te esqueceria do começo ao fim.
Reescreveria minhas canções.
Aquietaria nossos corações.
Eu fugiria pra longe de mim.
Tentaria não sonhar assim.
Apagaria o bosque, a fada, o fim.
Me desprenderia de mim.
Seria metade e não inteiro seu, sem sobrar nada pra mim.
Por fim, eu calaria minha voz.
Não falaria nunca mais de nós.
Não desataria nenhum dos nós...
Te manteria presa assim...
Pra no silêncio das frases não ditas...
No fundo das tardes vazias...
Nas noites em que estivermos sós...
Sinta o peso da insegurança,
O gosto doce amargo da lembrança
Do laço criado por nós.

Eu escreveria sobre nós
Se isso fosse verdade.
Mas é tarde demais...
Desataram-se os nós.
Restaram lembranças e nós...

-

Um texto de dezembro de 2015.
Sobre muitos nós que apertavam meu pescoço.

0 comentários:

Postar um comentário

Seguidores