Meu vazio

Não há dor, nem tristeza
Não há certeza, não há mais nada.
Na maior beleza da solidão calada.
Não sou mais nada, migalhas no chão.
No seu silêncio, eu sou um sonho.
Um eco louco de sim e não.
Sou poesia, sua fantasia.
Sou só saudade, só solidão.
Sou eu metade e a outra metade, em tuas mãos.
Já esquecido, eu fui vencido.
Estou derrotado, é meu corpo ao chão.
Me retiro agora,  na contra - mão.
Não sei pra aonde vou, perdi meu norte. Minha direção.
Vou ficar mais forte, enfrentar a morte.
Pra seguirem busca de salvação...

0 comentários:

Postar um comentário

Seguidores