Um sapo.

Nascido da lama, moldado no caos e nos dias de luta.
Sem sonho, ou planos, voltara então o velho príncipe decrépito.
Caminhando a passos largos, com a pressa de quem busca abrigo.
Como quem retorna ao lar depois de muito tempo.
Refugiado em meio ao caos, às árvores, ao pântano tenebroso.
Recolhe do chão a máscara quebrada, e a recoloca a esconder o próprio rosto....
Não haverão mais sorrisos além dos de escárnio.
Sua língua afiada voltará a ser sua arma mais poderosa.
Buscará o caos, se esconderás sobre a lama... E passará seus dias à espera de um novo visitante.
A sra fada jas morta assim como tudo  o que um dia tentou ser sem sucesso?
Silêncio como resposta.
"Não há espaço para os sapos lá fora"
O mundo é moldado pelos príncipes e monstros que se escondem pelas cidades.
Seu tempo acabou, ele é agora uma relíquia viva dos tempos em que honra era tudo. E caráter, a maior riqueza.
Em tempos de aparência, ele se encontra afundado em pobreza.
Mas sua mente ainda está intacta.
E assim ele pretende ficar.
Enquanto observa aos poucos o mundo se devorar.
Se destruir, até acabar.

-Frog, eternamente sapo.

0 comentários:

Postar um comentário

Seguidores