Soneto, saudade.*

As mãos cravam rosas num jardim qualquer
Na esquina que eu quiser.
No berço de quem dorme eternamente.
Nada, nesse mar de pensamentos!
Cada gota um lamento, meus momentos sutilmente engarrafados.
E eu embriagado no silencio inebriado
Observando o tempo a passar.
Passado num presente tão distante.
Eu me prendo a cada instante nos momentos de saudade!

Saudade, que me passa como um rio.
E um nunca tardio, sorriso no rosto.
Pra enfim me alegrar!
Sopra o vento frio
No soneto de um silencio
Qualquer...
Um sentimento e arrepio, sorriso de uma bela mulher.
Todo mundo quer...
Momentos pra se guardar, memórias pra se lembrar.
Quando o dia de hoje acabar!



por Luiz Carlos, Frog
texto registrado*.

*o texto em questão é letra de uma musica, que pode vir a ser gravada pela minha pessoa...  ;)

0 comentários:

Postar um comentário

Seguidores