Perdi as contas


Perdi as contas.
De quantas vezes eu fui desafiado.
Quantas vezes fui desarmado,
Outras tantas derrotado em batalhas não tão justas assim!
Perdi as contas de quantas vezes defendi causas perdidas.
Lutei pra fazer coisas impossíveis.
Naveguei por mares violentos

E escalei montanhas com uma espada cravada no peito.
Perdi as contas de quantas vezes fiz as coisas do meu jeito.
Outras tantas que fui eu o vencedor!
Não lembro há quanto tempo sou tido como o louco sonhador.
Eu, desenhista dos planos que me levaram a lugar algum.
Um guerreiro incomum, que perdeu as conta de quantas vezes ouviu alguém dizer:
Isso não vai dar certo.
E ainda assim julguei que o certo era fazer o que eu queria fazer...
Por quantas vezes eu me esqueci de dizer que tinha SIM algo de muito errado?
E eu ali às vezes, recém-chegado de uma batalha.
Tendo que me preparar para a guerra que nem minha era.
Eu sou assim, lutando por causas impossíveis que eu sempre julguei necessárias de se superar.
A minha vontade é combustível da fé!
E a fé inabalável é o que me faz acreditar.
No fim das contas eu luto porque julgo certo.
E é certo que não vou parar.
~


Por que todo homem tem direito de lutar contra A TORMENTA ;)

por Luiz carlos, Frog.
Textos registrados ~ Direitos reservados.

0 comentários:

Postar um comentário

Seguidores