Hibernar


Eram planos ou algo parecido com isso.
Mas eu perdi a vontade de falar a verdade
De buscar outros planos.
Eu não estive onde queria, não ganhei o que merecia. Mas o que era meu, de fato eu sempre perdia.
Quem diria algum dia que tudo que eu teria em mãos seria um coração verdadeiro.
Marcado, com as cicatrizes de um tempo que passou.
Com resquícios do que jamais ficou marcado na memória.
Mas que o fez pulsar mais rápido.
E no fim parar de respirar...

Um último suspiro antes que eu pudesse arrancá-lo e colocar na embalagem.
Ta pronto, embalado pra viagem.
Embora não me pareça essa a passagem que eu queria para chegar mais perto do seu mundo fechado.
Quem sabe eu esteja interessado em deixar um pouco de mim com você!
Esquecer aos poucos do que antes desejei fazer! Jamais houve a verdade.
Cheguei ao fim antes que fosse tarde.
Mas ainda assim, agora é tarde demais pra mim.
Está morto, tudo que ainda havia vivo.
Caiem aos poucos os pedaços do receptáculo agora vazio.
Eu não me encontro onde devia estar.
Eu não desejo mais desejar.
Eu não suspiro, pelo seu respirar.
E não contemplo teu olhar.
Estou longe do teu corpo, o templo intocável de um amor miserável. Que ERA muito pra mim.
Agora assisto o pôr do sol ao longo do oceano.
Sem ninguém ao meu lado.
Sem estar apaixonado.
Completamente anestesiado esperando por alguém que possa então me acordar dessa história de hibernação sentimental, onde o que menos importa é o começo.
Desde que eu esteja com você... No final.
 ~

Por: Luiz Carlos, Frog

0 comentários:

Postar um comentário

Seguidores