auto-sacrifício

Ondas confusas de sentimentos flutuam sobre minha cabeça.
E eu vejo as faixas coloridas balançarem como serpentinas em um baile de carnaval.
Mas tão rápido quanto a duração deste festival elas desaparecem e se misturam!
As cores se misturam dando origens a novos tons.
Mas o silêncio ainda domina o salão.
E essa saudade que me bate de ter-te aqui perto,
Poder abraçar-te sem pensar nos sentimentos.
Um abraço fraternal, quase covarde. De quem sente amor, mas prefere a omissão.
Minha missão?
Desejo que acabe logo então.
A saudade aperta o frio, congela... Uma rápida colisão de pensamentos incessantes e meus momentos de insensatez.
Quem sabe talvez eu ache um porto seguro...
Quem sabe um dia essa chuva pare! Ou eu despenque dos céus como uma águia em queda livre, mas sem ter o mesmo desejo que ela tem de voar.
Afogar-me num mar composto de lágrimas tuas seria um bálsamo para as feridas que carrego no corpo frágil e sonhador que trago por debaixo dessa armadura pesada que o tempo me entregou de brinde.
Beije-me a testa e diga apenas boa noite. Feche o caixão e enterre meus sentimentos em algum lugar onde as ondas possam levá-las pra longe do continente.
Tuas lágrimas irão embora, voltarás a ficar contente. Embora pra isso, seja preciso, que meu destino não siga em frente.
E pare aqui e agora. Sem pensar. Sem desistir.
Sem ver o futuro desejado virar presente.
Maior presente já tenho agora, a certeza de que tua dor, certamente irá embora.


~

até quando colocarei a tua felicidade acima da minha? até quando desistirei de buscar por respostas e simplesmente me confortar com teus sorrisos ?
quando notarás que abraços TEUS, também me são precisos?
chega de questionar... paro aqui e agora de por você, a cada novo dia, novamente me apaixonar!

POR: Luiz Carlos, Frog -
      [texto registrado]      

0 comentários:

Postar um comentário

Seguidores