Mais amor que perdão.

A dor nasce da necessidade de expressarmos algum sentimento pelas coisas que vemos ou ouvimos.
O silêncio mestre de toda e qualquer dúvida
Sabedoria rara e verdadeira daqueles que não tem nenhum conhecimento e insistem em criticar.
O ato cego de opinar naquilo que pouco se sabe.
A nenhum de nós cabe o peso verdadeiro do ato de julgar.
A alma cala enquanto estuda uma nova forma de se fazer viva outra vez.
E viver da alegria de muitos como há tempos a vida fez
Felicidade e paz.
Amor e seriedade.
Paz na terra aos homens de boa e de má vontade.
Por que justiça não seria tratar iguais como diferentes.
Nem tão pouco igualar as diferenças existentes com promessas e vantagens que tornas as diferenças em igualdades provisórias.
Sentido contrário. Eu me contrario quando digo tudo isso.
Perco me em palavras insanas de um velho homem que tem na pele as marcas do seu tempo que se desfez aos poucos.
E a mente jovem e sonhadora do garoto de 19 anos que ainda acredita em mundos paralelos.
Acredita na bondade do homem.
E na força do coração como MAIOR RAZÃO
Acredita em si mesmo.
E dá mais credito ao amor, que ao perdão.


~
Literatura complicada, poesia inacabada.
Por Luiz carlos, Frog.
texto registrado.

0 comentários:

Postar um comentário

Seguidores