Alex hearth.(Conto) | O metrô.

Meus olhos Fitam a cidade que passa de pressa do lado de fora do metrô.
Um casaco escuro e pesado cobre meu corpo, o capuz delicadamente colocando sobre meus cabelos.
Eu não desejaria muitas coisas, além de um pouco de felicidade.
Eu encaro meu reflexo na janela, e enquanto ele se mistura e dança nas imagens que transpassam o vidro denso.
O frio passa da minha espinha pra barra de metal a qual me seguro.
Não me sinto nada seguro.
“ora, Alex! O que diabos está pensando... é apenas uma viajem como outra qualquer... um dia como outro qualquer”
Tento me convencer de que andar ao lado dos pássaros é o mesmo que voar.
Sinto o peso da minha responsabilidade. E a minha fragilidade no reflexo do meu olhar.
Eu não sei se deveria ser o que sou.
Mas se é isso que me restou, não vou negar meu destino.
Mas vou rezar pra que Ela esteja sempre Bem.
E que Deus esteja comigo também

0 comentários:

Postar um comentário

Seguidores