poesia em silencio.

Eu estava em algum lugar onde você não podia ver.
Ok, até ai tudo bem.
Mas no fim estou eu aqui sentado na cadeira rezando por alguém que não pensa em mim.
Poeta cego.
Amor silencioso.
Este sou eu escrevendo mais palavras em um caderno velho, esperando que um vento leve sopre as palavras janela a fora, e alguém lá fora as ouçam suplicar que me ensine um pouco sobre amor.
Alivie cada dor. E quem sabe cauterize meus cortes sob a pele com as lágrimas que secaram em meus olhos tempos atrás.
Quem sabe um dia a tinta que marca o papel deixe de ser meu sangue.
E o estranho pulsar que ouço ao longe seja de fato o relógio. E não meu coração ecoando na sala vazia que me mantém preso aqui.
Sem ninguém pra dividir um sorriso.
Uma luz.
Sabe, tudo parece tão sem graça.
As noites são tão iguais.
As pessoas tão normais.
O luar entrando pela janela, não mais tão bela a lua é.
No entanto eu estou aqui.
Redator de uma redação morta. Amante de um amor decadente.
Sorridente por amar.
Sem saber exatamente à quem...e nem o porque.
~
"Dizem que tô louco Por te querer assim
Por pedir tão pouco E me dar por feliz"
[Minha Flor Meu Bebê- Cazuza]
\-\-/-/
Por Luiz Carlos, Frog.Textos Registrados

0 comentários:

Postar um comentário

Seguidores