Certo dia eu me perdi de mim
E antes que eu pudesse achar que aquilo era o fim, algo me disse que a aventura ainda estava pra começar.
Um Alguém a quem procurar.
Um amor pra recordar.
Eu de fato nunca o encontrei. E ainda não sei se a aventura propriamente dita já começou...
E nem se está prestes a terminar.
O que pra mim já basta é saber que sou eu quem irá determinar a trajetória que a vida vai tomar.
Pessoas que passaram! E que talvez possam voltar.
Paisagens que ainda irei ver.
E lugares que ainda tenho pra ir
Sorriso que talvez eu coloque no rosto.
Ou simplesmente os faça sumir.
Eu, colecionador de sonhos.
A vida. Sonhadora por si só, não me mostra direção alguma quando eu preciso...
E o que eu preciso? Será que um dia vou saber?
Ou continuar nessa história sem pé nem cabeça de quem não sabe o que quer.
A maravilha do marasmo do tédio.
Ou a indulgência oculta no amanhecer.
As barreiras que existem pra nos fazer saber cair.
Ou simplesmente levantar com a certeza de que sabe bem onde deseja ir.
A vida tem diversas faces.
E por vezes ela se mostra pintada de branco e preto.
Pra esconder o que de fato ela quer dizer...
Ah e quer saber? Eu ainda não em achei...
Mas não to nem aí!
A gente fica bem mais chato quando descobre o que de fato estamos fazendo aqui...
Brincando de viver.
E vivendo sem saber.

Luiz Carlos, Frog.



Todos os textos possuem registro.

Se copiar, põe os creditos .-.

0 comentários:

Postar um comentário

Seguidores