Irmãos

Se eu soubesse que estaria aqui, depois de tantos anos falando de alguém que entrou na minha vida de forma esquisita.
Quem diria que um dia eu sentaria na bancada vazia onde sempre estive sozinho pra escrever sobre pessoas que dividiram comigo a solidão.
Que dividiram comigo sorrisos abraços.
E pontas-pé.
Eu não escreveria sobre dias ruins se pra mim não fossem importantes.
Nem sobre divisões macabras se elas também não tivessem algum significado.
Mas sabe tudo pareceu me trazer ao lugar onde hoje estou.
E graças a muitos desses, eu acho que hoje sei pra onde vou.
E se não souber tenho certeza que ainda assim eles me indicarão os possíveis caminhos.
Velejar em mares obscuros não fazia parte do plano original.
Curtir uma vida semi-solitária também não.
Acabar por ir a lugares onde nunca antes eu havia cogitado a hipótese de chegar...
Sim, isso fazia parte do plano.
Mas não esperava que eu acabaria indo por engano!
Explicações e introduções a parte, a vida não teria muita graça...
Sem dados rolando...
Espadas medievais e dragões pra gente matar!
A vida não teria graça sem alguém na ponta da mesa pra poder “mestrar”! E ver a gente se virar de mil maneiras diferentes pra não se ferrar.
Por outro lado eu não veria tanta graça no enterro de um amigo, se não encontra-se um outro por lá.
E nem dançaria no meio da rua igual um maluco.
Sem ter motivos, só pra rir.
Som alto na minha casa? É, depois que vocês chegaram, eles passaram a deixar.
Ficou engraçado comemorar aniversário.
Pensar em ter salário, e fazer planos de como gastar!
Ficou maneiro ter alguém pra dividir as experiências bizarras de um não bem tomado e gritar... “ALA! O Abner quer falar contigo... vai lá! “ Rsrs.
Talvez eu não soubesse hoje como ensinar, ok não foi meu primeiro aluno. Mas Deu gosto de ensinar!
E tenho orgulho de dizer que SIM eu fui superado! Mas era de se esperar, quando você ensina a única pessoa que foi capaz de te parar em uma competição... E olha que nem era nada muito sério, pros que olhavam do lado de fora da mesa!
Agradeço pelos gritos de “Não entre em pânico” de dois de vocês e pela risada e o “Eu disse que você ia entrar em pânico” do terceiro Rsrs
Agradeço por transformar o fim de ano... Natal e ano novo. Em algo maneiro!
E por me fazer voltar a comemorar os ciclos de 365 dias.
Agradeço por me deixarem acreditar nos humanos e por ser um pouco mais humano de vez em quando!
E por dividirem comigo opiniões polemicas e aterrorizantes!
Agradeço por um não bem colocado quando lhes foi proposta uma chance de me sacanear.
E espero que saibam que essa é a mesma resposta que eu vou dar!
Chutes, ponta-pé... Boladas e até coca-cola no ouvido!
Eu duvido que alguém possa ter passado por coisas parecidas!
Uma amizade entre dois guris de 8 anos que odiavam ser sociais. E que hoje estão quase virando pessoas normais!
Um aluno que ensinou ao professor!
E por que não uma amizade que começa onde normalmente elas acabam... Em um enterro.
É eu não sou normal... Mas posso garantir que tudo o que eu vivi até hoje foi muito... Muito maneiro!


E quanto ao tempo, contá-lo ou classificá-lo será sempre em vão.
Quando se tem ao lado alguém a quem chamar de irmão.
~


"E fora o inverno e o tempo ruim, eu não sei o que espera por mim!
Mas pouco importa o que venha ser...
Se eu tiver comigo, a quem dizer:
Quero que a estrada venha sempre até você e que o vento esteja sempre ao seu favor;
Quero que haja sempre uma cerveja em sua mão e que esteja ao seu lado... seu grande amor."
[tempo ruim -matanza]


Aos meus irmãos de alma e coração.
Carlos, Yuri e Edgard.

Por Luiz carlos, Frog.


0 comentários:

Postar um comentário

Seguidores