Fraternidade

Não posso pensar em viver sem eles.
Sem seu colo ou cuidado,
Sem a proteção que me dão.
Sentiria falta até mesmo
De me preocupar com o bem-estar de cada um.

Estes seres que são diferentes,
Mas tão iguais a mim,
Seres que vem do laço maternal
Filhos de minha mãe,
Sangue de meu pai,
Partes de um mesmo ciclo,
De uma mesma vida.


Seres que a vida nos dá de presente
Que às vezes se ligam a nós pelo espírito,
E num elo tão forte que sobrepuja o sangue.

Aqueles que choram por nós,
Que sorriem conosco,
Que nos acolhem e afagam,
Que nos repreendem,
Mas por amor.

Tesouros dos quais cuidamos com todo o zelo que há em nós
Que nos fazem sentir amor,
Que nos fazem sentir amados,
Que nos roubam o sono
Ou nos fazem dormir.

Por vezes frágeis cristais
Outras, poderosos diamantes.
Tolos como aquela que quis alcançar a lua,
E tragada foi pelo espelho mágico das águas de um rio.
Sábios no silêncio que apenas ouve.

Protetores; protegidos,
Amados; que amam,
Frágeis; intransponíveis.

De sangue ou de alma.
Unidos pelo lado fraterno do amor;
Ligados eternamente pela irmandade.
Sempre partes de um ciclo interminável,
De uma mesma vida inseparável.
Para sempre irmãos.

~

Por: José Nilson Souto Jr.
Texto Registrado.
12/03/2011

  2 comentários:

  1. Obrigada mano!!!!!!! ficou simplesmente perfeito!!!!!!!! adorei! abraços!Cada dia sinto mais orgulho de ser sua irma de alma! ah e axo que esse ano tem bienal, topa?! bjs.

    ResponderExcluir

Seguidores