Lembranças daquela que nunca esqueci

É fácil trazer a tua imagem à minha mente.
Difícil mesmo é tirá-la daqui.
Porém, do que me adianta querer extirpar a ti de minha mente,
Se tens contigo o segredo do meu coração?

Meu pequeno "pedaço de sol"
Minha fada de mil contos perdidos...

Por mais que passe o tempo
E que haja entre nós um grande oceano,
Sei que olhas para o mesmo céu que agora admiro,
Olhando estrelas que um dia mostrei a ti.
As fracas e pequenas luzes celestes
Que invejam o brilho dos teus olhos
Tão verdes e vivos quanto as folhas primaveris.

Os dias me parecem mais invernais sem o calor da tua pele.
O veludo das flores arranha minhas mãos, acostumadas ao teu imaculado colo.
O cheiro da manhã não passa de indistinta fragrância
Ao olfato que jaz inebriado por tua essência.

Lembro bem de cada toque.
Revivo na ausência tua cada carícia.
Sinto novamente suas mechas de matiz rubro
Escorrerem entre as vagas dos meus dedos,
Recordo em mínimos detalhes o corar do teu rosto,
Por um simples afago.

Mas tudo isso fica pequeno
Quando revivo não em mente, mas em meu coração
O sentimento...
Cada toque,carícia, palavra... beijo.
Tudo era consequência de um algo maior,
De um algo inexprimível...
Algo chamado amor.

Amor que ainda cresce e revigora-se acima de tudo que tenta matá-lo.
~

Quero desculpar-me pelo atraso desta postagem, e por qualquer transtorno causado. Mas a tecnologia falha e a internet cai.

Obrigado, e até a próxima!

Por: José Nilson Souto Jr.
(texto registrado)
13/02/2011

0 comentários:

Postar um comentário

Seguidores