Alex hearth.(Conto) | Conflitos I


O vento bagunça meu cabelo, traço no ar círculos em volta dos prédios.
Meus desejos, não são remédios! Continuo sendo quase um monstro.
Eu me mostro cego.
Mas cego por optar que meus olhos ignorem a mediocridade das imagens da cidade.
Tanta gente sofrendo! Só essa noite eu evitei alguns assaltos salvei algumas vidas...
Mas não parece o suficiente. Na minha cabeça martela um sentimento que não para.
Nem me ampara!
Sinto me obcecado em ajudá-los! Mas ser caridoso por obrigação não é assim tão valoroso.
Embora a opção não seja assim tão opcional, e sim um dever de todo e qualquer ser mortal.
Pensei em milhões de coisas diferentes.
Lembrei que ainda não tenho algumas respostas!
Sim, eu sou um anjo. Mas ainda não sei dizer como me tornei o que agora sou.
Nem se coração algum em meu peito restou.
Preciso voltar pra casa, já começa a amanhecer, e cada feixe de raio de sol que toca minha pele faz um pequeno pedaço de mim desaparecer.
Daqui já da pra ver a minha janela...
Pra ser sincero não sei dizer se o que desejo ao certo é pousar-me nela...
Ou simplesmente despencar, desistir e me entregar!
A dor que me corta por dentro ainda é maior que toda e qualquer vontade de ser bom...
Supera qualquer missão.
Mas acredite por ela eu não desistirei.
Resistir e lutar é a única opção que sempre irei ME DAR.

Entro pela sacada e despenco na cama... Em poucas horas deverei acordar.
Espero que já esteja normal... Quando em breve, por aquela porta ela outra vez entrar.

0 comentários:

Postar um comentário

Seguidores