Da estranha complexidade.


Suspeito que não fui um sujeito daqueles que as pessoas falam.
Não sou tão certo nem tão cego a ponto de me imaginar como portador de uma verdade universal.
Errado enquanto homem... Homem, porém imortal.
Porque as idéias não morrem... Os sonhos não morrem. Dissera-me uma vez uma Jovem senhora.
Que me ensinou bastante coisa sobre a vida...
Ainda que ela estivesse um pouco distante.
Não tanto quanto se encontra agora...
Se bem que acho que nunca ela estivera tão perto quanto agora... a guardo na lembrança.


De certo não sou mais aquela criança... Que brincava sozinho na mesa da sala.
Que não se divertia com uma bala.
E que viajava em aviões de papel.
Não sou mais tão sozinho...
Tenho comigo alguns irmãos que encontrei pelo caminho.
Outros que apareceram e ficaram.


Mas mesmo assim as vezes me sinto sozinho.
Ainda falta alguma coisa!
Uma reposta! Ou quem sabe apenas a pergunta certa =S
Tem horas em que a vida me cerca. E eu não me vejo muito além do que os outros podem ver.
Não necessito de mais olhos.
Estou feliz com aqueles que se preocupam em enxergar-me mais do que se preocupam em simplesmente ver.
Ainda sento no fundo da sala.
Ainda reclamo do ventilador... Durmo coberto só pra sentir calor.
Ainda procuro um abraço de verdade... E fico acordado até tarde!
Ainda estudo sobre coisas que ninguém mais da importância... Minha sagrada irrelevância.
Continuo sendo um Louco... Um solitário que não está só!
Mas que admira os poucos amigos que tem.
Aqueles que o fazem se divertir por estar só.
só começando a falar besteiras...
só pensando em uma maneira de fazer todo mundo rir.
ou só por ainda não ter uma pessoa em especial pra se preocupar...
Por isso se preocupa com todos!

Eu ainda brigo por sonhos.
Os mais loucos e sem sentido!
Ainda vejo musica onde não tem...
Amores onde não tem...
E pessoas em lugares onde não há ninguém!



Eu...
Ainda me perco vendo desenho animado!
As vezes me pego lutando com um arqui-mago...
Rolando os dados...
E quase sempre contestando os resultados.

Mas sabe... no fundo eu sou o mesmo garoto que brincava na mesa da sala...
A diferença é que agora eu tenho cm quem brincar...
Eu tenho por quem brigar...
Com quem sonhar...
E por quem Orar...
Agradeço a todos que fizeram aquele garoto...
De alguma maneira...Retornar.


E ainda que a minha “singular pluralidade” se mantenha por toda minha vida lembre-se que eu não sou do tipo que desiste antes de perder a primeira partida...

Faz parte da minha complexidade...
As duvidas que se transformam em respostas para perguntas que jamais surgiram... e pra momentos que jamais existiram...
Acho que isso é tudo...
Bem vindo ao meu mundo.


~

O texto mais pessoal que ja publiquei ^



Dedicado À todos os meus amigos...
e em especial à Tia valéria... de quem sempre sentirei saudade.

  Um comentário:

  1. Como a maioria dos seus textos,esse também é lindo,impactante e ainda poético.
    Você é muito talentoso!

    Ana

    ResponderExcluir

Seguidores