E o poeta se cala
Ao menos enquanto não houver poesia em sua vida.
Enquanto os romances não forem condizentes ao romantismo.
E o romântico mascarado pelo cinismo das faces cretinas
Que ousam discursar sobre o romantismo.
Uso aqui meu cinismo, pra lhes mostrar que numa terra em que o romantismo se encontra ultrapassado
A mascara da canalhice nos convém em alguns instantes.
Entretanto a face da frieza transparece com mais perfeição a beleza das feridas causadas pelo tempo.
Mascarando-a de forma cega, com o intuito de não esconde-la mas mostrá-la como um estandarte, uma arte de guerra.
Quem sabe um troféu.
E o véu do silêncio que cobre esses rostos incrédulos que já não sabem ao certo o que devem esperar...
A estes que me escutam um recado ei de deixar...
Irei silenciar enquanto a voz daqueles que sabem sobre romantismo, honra e cavalheirismo não tiver peso superior ao daqueles que simplesmente insistem em os ignorar.
Por: Luiz Carlos Dos S gonçalves.
(todos os textos são registrados)

0 comentários:

Postar um comentário

Seguidores