Dos nossos segredos, já não resta nada.
Da nossa vida sobram-se poucos vestígios
Do nosso silêncio. Uma voz.
E perdendo se no tempo eis aqui, nós.
Os mesmos perdidos
.
Os mesmos pedidos.
Os momentos esquecidos.

Nada mais sobra, apenas as coisas que nos restam.
E o preço que a vida nos cobra.
O bom e velho silêncio.
O estranho veneno da cobra.
Eis aqui todo o desejo. Todo o tormento.
Eis aqui, por um breve momento.
O silêncio. O lamento.
 


Por: Luiz Carlos Dos S gonçalves.
(todos os textos são registrados)



0 comentários:

Postar um comentário

Seguidores